Estética e Bem-Estar

As vitaminas no tratamento ortomolecular injetável

Postado em:
24/5/2019

Os diversos tipos ativos ortomoleculares injetáveis compõem uma gama complexa de possibilidades de ação, para as mais variadas condições de saúde. O tratamento lança mão de ferramentas como, por exemplo, a administração de minerais, antioxidantes, hormônios e vitaminas.


Vitaminas são corresponsáveis por processos ao longo de todo o metabolismo. No tratamento ortomolecular injetável, elas desempenham papel fundamental, em conjunto com outros componentes, para restaurar e otimizar a saúde dos pacientes e nutrir as células de forma eficiente e completa. A administração de cada vitamina depende de um diagnóstico médico preciso e um acompanhamento meticuloso para que os efeitos desejados sejam atingidos com segurança.


Da produção de energia celular ao aumento da imunidade, as vitaminas estão envolvidas em etapas cruciais do metabolismo dentro da dinâmica de um tratamento que tem como objetivo restabelecer a função regenerativa do organismo.


O uso de vitaminas no tratamento ortomolecular injetável pode ser feito para casos de distrofia muscular, por exemplo. A administração de um tipo de vitamina B12, a metilcobalamina, pode estimular a regeneração de terminais nervosos motores. Pacientes com esclerose múltipla também podem se beneficiar de melhoras substanciais em sintomas como degeneração motora, auditiva e visual. O tratamento é indicado também para pacientes com Alzheimer, que podem ter funções intelectuais e emocionais
preservadas ou estabilizadas.


Vitaminas do complexo B costumam ser benéficas na formação de colágeno e na pigmentação da pele quando exposta aos raios ultravioletas. Essa mesma substância, a niacinamida, atua no cérebro, na formação de substâncias mensageiras, como a adrenalina, influenciando a atividade nervosa e a ação neuroprotetora.


Outra aplicação importante das vitaminas em um tratamento com ativos ortomoleculares injetáveis é no tratamento da diabetes, com o aumento da tolerância à glicose em um pacientes. A vitamina B6, quando administrada corretamente, tem função de auxiliar na produção de serotonina, melhorar o metabolismo de glicose e também é usada no combate aos sintomas indesejáveis da TPM.


Dentro do complexo quadro de administração de vitaminas via tratamento ortomolecular injetável, as variáveis são muitas e o acompanhamento médico aliado a um preciso diagnóstico, aumentam a possibilidade de um tratamento eficaz. Pacientes que procuram a medicina ortomolecular se beneficiam no tratamento de queixas que vão desde a osteoporose até problemas de concentração ou acompanhamento para tratamento de depressão. A vitamina B1 tem ação sobre a disposição mental e outros efeitos benéficos
para o sistema nervoso, ao passo que a vitamina B12 melhora substancialmente a qualidade do sono, fazendo com que as pessoas se acordem mais revigoradas e melhorando os níveis de concentração.


Para saber como um tratamento ortomolecular pode te ajudar, agende uma consulta.

Posts em Destaque